22 de dezembro de 2013

Cabocla Jupira

Diz a história que a Cabocla Jupira, guerreira e flecheira é a primeira filha da Cabocla Jurema com o Caboclo Sete Flechas, irmã de Jandira, Jacira e Jaciara. Em terra, a Cabocla Jupira tem uma postura muito firme com olhos cerrados e diferentemente de outras Caboclas, quase não dança e é uma das únicas que usa penacho, pois representa a coroa de sua mãe Jurema, a rainha das matas e florestas. Jupira é a princesa das matas que mora no Jacutá, nome dado ao ponto de força de Iansã. Trabalha em descarregos e principalmente na limpeza dos ambientes. Suas cores principais são o amarelo, verde e vermelho, podendo usar o azul anil. Essa índia guerreira viveu entre os índios Caetés, no interior de Alagoas. Sua tribo praticava o canibalismo em rituais de sacrifício como forma de preservar a raça e mostrar sua força aos conquistadores. Jupira era veloz, inquieta e sabia manejar a lança como ninguém. Seu pai não gostava que ela se envolvesse em pendengas masculinas, mas não conseguia contê-la. Era ardente como o sol, inquieta como o vento e escorregadia como a água. Sabia ocultar-se nas matas e usar o arco e flecha com destreza. Quando os portugueses invadiram suas terras e investiram com furor, alguns conseguiram se salvar fugindo para o interior das matas não conquistadas. A Cabocla Jupira quedou em combate ao lado de seu noivo Juperê e de sua tribo. Morreu fazendo aquilo que mais gostava de fazer: lutar. Hoje ela trabalha na linha de Iansã e não é difícil vê-la em giras pra Xangô.

Numa noite estrelada
E com a lua para lhe guiar
Dona Jupira saiu da sua aldeia
E entrou nas matas para caçar
Linda morena Cabocla guerreira
Atirou sua fecha para não errar