14 de janeiro de 2013

Qualidades de Oxum no Candomblé

Candomblé

Abae ou Mabe: Tem ligação com Iemanjá
Abalu ou Abalo: A mais velha de todas, bem idosa. É a chefe das 
mulheres. Maternal, avó amorosa tem numerosos filhos e netos. 
É severa e autoritária. Usa o azul-claro e é a verdadeira dona do 
leque e sempre se apresenta com ele. Come com Iemanjá no rio 
ou na lagoa. Carrega Ogum e uma Iansã. Tem ligação com 
Omulu e Oxossi
Abomi, Omin ou Lomin: Um de seus nomes que significa 
'Senhora da água'. Suas filhas têm o direito de usar o Jogo de 
Adivinhação com até 16 búzios. É considerada uma das mais 
velhas, devido ao longo tempo de culto
Abotô: Também uma velha Oxum de culto antigo, ligada as Iyamís, 
feiticeira, carrega abebe e alfange, tem ligação com Nanã e Oyá de 
culto Igbalé
Afenir: Uma de seuas qualidades
Ajagura ou Ajagira: Jovem e guerreira que leva espada. Tem ligação
com Iemanjá e Xangô. Pertence à nação nagô – Oyo. Casada com 
Aganjú, rival de Iansã. Representa um tipo semelhante à Apará, 
porém é mais orgulhosa enquanto Apará é mais agressiva
Akidã: Tem ligação com Obaluaiê
Apará ou Opará: É a Oxum mais jovem, um tipo guerreiro que 
acompanha Ogum vivendo com ele pelas estradas; dança com 
ele quando se manifestam juntos numa festa. Leva uma espada 
na mão e pode vestir-se de cor de rosa. É a senhora da espada
Àyàlá, Ìyánlá ou Ayla: É a avó das Oxum. Muito poderosa e guerreira. 
Veste o amarelo e o azul-claro. Come com Ogum. Mora nas matas 
e tem caminhos com Obaluaiê. Àyàlá, que também foi esposa de 
Ogum Alagbdé e é conhecida como a "avó" que tocava música 
num fole para fazer dançar Egúngún, mantém estreita 
ligação com as iyami
Aziri: Uma de suas qualidades
Deuí, Dewá ou Ideuá: Tem ligação com Ogum
Ê Wuj Í: É uma Oxum maternal e generosa, saudada no pàdé
Iabomin, Iaokin, Labomi, Kitolomin ou Demin: Ligada a Angola. 
Não tem ligação com os demais Orixás
Iberin ou Merin: Feminina, coquete e muito elegante. 
Aspecto maduro da Orixá. Oxum nova, concentra a vaidade e 
toda beleza e elegância de uma Oxum, dizem que ser a Oxum de 
mãe menininha do Gantois
Ijimu ou Ajímu: Outro tipo de Oxum velha. É a mãe de todas as Oxuns. 
Veste-se de azul claro ou cor de rosa. Leva abebé e seus colares 
são feitos de contas de cristal amarelo escuro. Representa um tipo 
semelhante à Abalu, porém mais meiga. É a responsável por todos 
os otás dos rios. Come com Oxalá e Omolu. Não come bicho-fêmea, 
exceto pata
Ikole: Seu mito a liga a Iemanjá e Ode Erinlé. Transformou- se 
numa ave
Iya Omi: é a Oxum saudada no xirê, também idosa. É aquela que faz 
as perguntas a Exú no jogo divinatório de Ifá
Karê ou Acarê: Muito Guerreira, mas sua arma é um ofá (arco e flecha). 
Muito bonita, jovem, autoritária e agressiva. Veste saia branca 
com forro amarelo-claro. Tem fundamentos com Oxossi. 
Acompanha Iemanjá e Oxalá. Come na lagoa e no encontro das 
águas salgadas com as doces. É manca da perna esquerda e só 
come bichos-fêmeas. 
Tem ligação com Oyá
Kissimbi: Uma de suas qualidades
Lobá-guerê ou Gueré: Oxum velha que dirige os trabalhos do qual 
o auxiliar é o Exu Laboré Fumen. Gueré quer dizer docemente ou 
alegremente. Tem ligação com Xangô
Lokun ou Pòpòlókun ou Potolokun: Conta os antigos que não vem mais. 
É cultuada nas lagoas
Miwá: Uma de suas qualidades
Mileyó: Uma de seuas qualidades
Mouwò: Oxum ligada a Olokun e Iemanjá, grande poder das iyamís, 
veste-se de cores claras e usa abebé e ofange
Ninsin: Tem ligação com Nanã
Odó: É a Mãe das Ancestres. É muito parecida com Iemanjá. 
Veste branco e azul. Come com Oxalá e Iemanjá. Senhora dos perdões. 
Reside nas nascentes dos rios
Oga ou Oja: Enquizilada e briguenta, outra Oxum velha e muito guereira, 
carrega abebe e alfange
Ôkê, Loke ou Oloko: Apresenta-se como caçadora, mais também 
é muito guerreira. Vive no interior das matas ou florestas e é associada 
às Iyami. Veste amarelo-ouro e usa ofá, traz ainda uma espada e o 
abebê. Come com Oxossi e Ewá somente a caça. Foi esposa do 
mais velho Oxossi que existe e criou os filhos que lansã teve com 
seu marido, aliás, só permitia que Oyá tratasse de seus filhos 
quando eles adoeciam
Ominibu ou Minibu: Tem ligação com Oyá. Carrega os apetebis
Onira: Oxum guerreira
Petu ou Ipetu: Aspecto maduro da Orixá. É guerreira e cultuada nas 
lagoas. Dizem não incorporar mais
Ponda ou Ypondá ou Pandá: Esposa de Oxossi Ibualama. Porta um leque. 
É mãe de Logun Edé e com sua espada guerreia bravamente. 
Vive no mato com seu marido. Veste amarelo-ouro e azul-claro na 
barra da saia. Relacionada ao fogo e aos cemitérios, tem ligação com 
Egun. A pata é a sua maior quizila, seu bicho de fundamento é a tartaruga. 
É uma jovem da cidade de Iponda. Tem ligação com Ogum, Oyá, 
Oxossi e Oxaguiã. Come com Iemanjá e Oxalá. Alguns dizem ser 
 companheira de Omulu, é muito feiticeira, desconfiada, astuta, 
observadora e intuitiva
Yaboto, Oxogbo ou Ogbo: Aspecto maduro da Orixá. Feminina e coquete, 
muito bonita e vaidosa. Relacionada ao parto e ao nascimento, ajuda
as mulheres a terem filhos. É a origem de Oxum. É a Oxum das nascentes 
e dos encontros das águas doces e salgadas. Veste amarelo-ouro e 
azul-claro. Ela deu origem ao nome da cidade de Osogbo. Tem 
fundamentos com Iemanjá e Oxalá. Geralmente seus filhos são Àbìkús. 
Dizem ser feita no lugar de Ifá, apesar de vermos que muitos fazem 
no lugar de Ifá o assento de Oxum Abomi
Timi: Tem ligação com Xangô
Yoni ou Vinsi: Tem ligação com Ogum

Qualidades de Logun Edé no Candomblé

Candomblé

Loko: Tem fundamentos com Exu
Ybain: É um recém nascido Apanan. Comem com Exu e Oxóssi. 
Seus fundamentos estão em sua mãe de criação, Oxum Onira, 
sem ela Logun não caminha. Toda pessoa de Logun tem que assentar 
Oxum Onira e de Oxum Onira tem que assentar Logun. 
Assenta-se também Ybualamo, Yponda e Opará

Qualidades Omulu no Candomblé

Candomblé


Afenan ou Afomam: É velho, dança curvado, veste a estopa e carrega 
duas bolsas de onde tira as doenças. Suas cores são amarelo e preto. 
Todas as plantas trepadeiras pertencem-lhe. Tem caminhos com 
Oxumaré e Oyá, de quem é companheiro. Dança cavando a terra 
com Intoto para depositar os corpos que lhe pertencem
Agbagba Jagun: tem fundamento com Oyá
Agòrò: Veste branco, usa biokô com franjas de palha
Ahosuji ou Segí: Tem ligação com Iemanjá e Oxumaré
Ajoji ou Jagun: Tem fundamentos com Ogum e Oxaguiã
Akavan: Tem ligação com Oyá, veste estampado
Arawe ou Arapaná: Tem fundamento com Oyá e Oxalá
Arinwarun Wariwaru: É um título de Xapanã
Avimaje: Tem fundamento com Nanã, Ossanhe e Oxóssi
Azoani: É jovem, veste vermelho, palha vermelha Tem caminhos 
com Iroko, Oxumaré, Iemanjá e Oyá
Azonsu ou Ajunsu: Tem fundamentos com Oxumaré, Oxum e Oxalá. 
Carrega lança e veste branco. É extrovertido, ligado ao tempo, 
às estações do ano e ao culto da terra. É o verdadeiro dono do 
cuscuzeiro. Veste vermelho, preto e branco, na perna esquerda 
leva uma pulseira de aço
Intoto: Suas contas são vermelhas e pretas. É um Orixá 
cultuado em seu assentamento e não vira na cabeça 
de ninguém. O Iaô é feito de Oxum ou Azoani. 
Dá-se comida à terra. Este Orixá é abìkú, portanto não se raspa, 
pois representa o fundo da terra. Come com Ewá, Oyá e Ikú. 
Seus assentos são cultuados ao lado de Nanã e Iemanjá
Ìpòpò: Tem forte fundamento com Nanã, usa biokô
Itetù Jagun: ligado a Iemanjá e Oxalá
Itubé Jagun: É jovem e guerreiro, leva na mão uma lança chamada okó. 
Tem caminhos com Ogunjá, Oxaguiã, Ayrá, Exu e Oxalufã. 
Não come feijão preto e é o único que come Igbin (caracol)
Jagun Agbagba: tem fundamento com Oyá
Posun ou Posuru: Come diretamente da terra. Sua dança mostra 
claramente sua ligação discreta com Exu e com a terra, dança com 
garras nas mãos. Tem caminhos com Intoto, Iroko e Oyá
Segí: Tem ligação com Iemanjá, Oxumare e Nanã
Savalu: Tem forte fundamento com Nanã
Soponna ou Sapata ou Sakpatá: É o mais antigo; é proibido falar 
o seu nome. Na África quando fala-se o seu nome, coloca-se mel na 
boca. Come com Exu e tem fundamento nas encruzilhadas. 
Tem caminhos com Oxóssi e é o deus da varíola e das doenças de pele. 
Usa contas brancas e pretas
Tetu ou Etetu Jagun: É jovem e guerreiro. Come com Ogum e Oyá. 
Veste de branco, usa biokô