23 de julho de 2013

Odudúa

Odudúa é uma divindade complicada, polêmica. Alguns sugerem ser um Orixá feminino, a esposa de Oxalá, rainha da terra. Outros classificam como sendo uma qualidade do próprio Oxalá. Ainda há quem diga que Odudúa é irmão de Oxalá. O que ocorre é uma confusão entre a divindade feminina Odudúa com o ancestral iorubano divinizado Odudúa, que é considerado, em território africano, como sendo uma forma humana da deusa Odudúa, ou seja, o guerreiro legendário e a deusa Odudúa seriam as mesmas pessoas. Ao lado de Obatalá, Odudúa forma o casal primordial e propulsor da criação. Cada um foi incumbido de determinadas funções no papel da criação do universo incluindo o mundo em que vivemos. Conta uma lenda, que nos primórdios, Olorúm concedeu a Odudúa total poder sobre o universo e os demais Orixás, entregando-lhe simbolicamente uma cabaça e um pássaro de metal, mas Odudúa passou a reinar de forma cruel e por qualquer motivo mandava arrancar os olhos e o coração das criaturas. Oludamaré preocupado, tirou parte do poder de Odudúa e entregou a Oxalá, restabelecendo a justiça e a misericórdia.


Outra lenda diz que no principio de tudo, quando não havia separação entre o orún e o aiyê, Obatalá e Odudúa viviam juntos dentro de uma cabaça. Viviam extremamente apertados um contra o outro, Odudua em baixo e Obatalá em cima. Eles tinham sete anéis que pertenciam aos dois. A noite eles colocavam os anéis: aquele que dormia por cima sempre colocava quatro anéis e o que ficava em baixo colocava os três restantes. Um dia Odudúa, deusa da terra, quis dormir por cima para poder usar nos dedos quatro anéis, mas Obatalá, o deus do céu não aceitou. Tal foi a luta que travaram os dois lá dentro que a cabaça acabou por se romper em duas metades, separando-se assim o céu da terra. Por isso existe a distância entre o céu e a terra, para que não haja mais briga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário