11 de fevereiro de 2013

K
Kà - Ler, contar
Kàdárà - Destino
K'àgò - pedir permissão para entrar em uma casa
Kalè - Sentar
Kan - Azedo
Kaná - Estar em chamas
Kárò - Bom dia
Kárùn - Ficar doente
Kàwé - Ler
Ké - Cortar
Kedere - Clarear, esclarecer
Kéhìndé - O segundo gêmeo a nascer
Kekerê - Pequeno
Kelê - Colar do iniciado feito com miçangas e firmas, nas cores do Orixá
a que é dedicado para ser usada durante o resguardo
Kéré - Ser pequeno
Kíkún - Mortal
Kiniun - Leão
Kó - Aprender
Ko Dara - Ruim
Kò Tòpé - De nada
Kókóró - Chave
Kòla - noz de cola amarga sagrada para a maioria dos Orixás
Korin - Cantar
Kórira - Odiar
Koró - Fel, amargo
Kosi - Nada
Kòtò - Buraco
Ku - Morrer
Kunle - Ajoelhar no chão como um gesto de respeito, tanto para um local
sagrado como para uma pessoa mais velha
Kunrin - Cantar
Kuru - Longe
Kurumu - Redondo

L
Là - Abrir
Lá - Sonhar
Labalábá - Borboleta
Lábelè - Secretamente
Làí - làí - O começo (considerar tempo)
Láí - láí - Para sempre
Láikú - Imortal
Lailai - Para sempre
Lála - Sonhar
Lálé - De noite
Làlóju - Esclarecer, iluminar
Láná - Ontem
Laquidibá - Espécie de colar feito com raízes ou chifres de búfalo 
utilizado na Nigéria, ao redor do umbigo para proteger as crianças das 
doenças. No Brasil, é utilizado como guia consagrada a Omolu
Larin - Moderado
Laroiê - Saudação para Exu
Lê - Forte
Le - Mais
Lembadilê - Santo de casa
Létòl'tò - Segmentos de um ritual
Léwà - Bonito
Lile - Feroz, violento
Liló - Partir
Ló - Ir
Lódè - Do lado de fora
Lodê oni - No presente
Lodo - No rio
Lókan - Bravo
Lókun - Forte
Lóla - Amanhã
Lona - No caminho
Lóni - Hoje
Lósàn - De tarde
Lowo - Rico
Lu - Furar

Nenhum comentário:

Postar um comentário