30 de novembro de 2012

Os Pretos Velho são a minha cabeça, meu cérebro.  Com sua sabedoria entendo que as coisas da matéria são passageiras. Com sua paciência, compreendo e respeito as diferenças de meus irmãos, pois somos uma grande corrente universal, e eles dependem de mim tanto quanto eu dependo deles. Os Caboclos são meu peito, meu coração. Com sua coragem nunca recuo de meus inimigos. Posso até sentir medo das mudanças, mas nunca desistir de meus objetivos. Os Cosmes são os meus braços. Com sua alegria e resistência me ajudam a suportar o peso das adversidades da vida. Nos momentos de luta, meus braços são implacáveis, nos momentos de paz são só carinhos. Finalmente, os Exus são as minhas pernas ajudando-me a caminhar rumo à evolução. Cada encruzilhada é um desafio. Posso tropeçar e até cair, mas nunca me desviar do caminho, pois eles andam sempre em minha frente me conduzindo.


Salve a Umbanda!