22 de junho de 2012

24 de Junho - Dia de Xangô

No dia 24 de junho comemora-se o dia de Xangô. Orixá do fogo, dono da balança, dos raios, dos trovões e do machado de duas lâminas. Senhor da justiça, imparcial, justo e exigente.
Costumamos dizer que Xangô é o lado masculino de Iansã, por suas características tão parecidas. Foi casado com Iansã, Oxum e Obá, e é o causador da eterna rivalidade e da briga entre as duas últimas, o que levou Obá a ficar sem uma orelha. Orixá vaidoso e imponente, sua oferenda é uma das mais elaboradas do batuque. É o Orixá a quem recorremos em processos judiciais, e por isso devemos ter muita cautela ao que pedimos a ele, pois ele faz justiça com maestria e sem piedade.
Suas cores são o branco e o vermelho e seu dia é a terça feira.

Oferenda para Xangô:
Amalá feito com
Ponta de peito
Mostarda picada 
Farinha de milho
Doces (Para Xangô de Ibejis)


Kawô Kabiecile


Que seu machado possa sempre nos defender das injustiças e das demandas

Kawó Kabiecile Xangô!

Umbandista

Dia Nacional da Umbanda

A comunidade dos terreiros comemora a assinatura da lei que institui o Dia Nacional da Umbanda, a ser comemorado todos os anos no dia 15 de novembro:

Lei nº 12.644 de 16 de maio de 2012
Institui o dia Nacional da Umbanda
A presidenta da república
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: 
Art. 1o  Fica instituído o Dia Nacional da Umbanda, que será comemorado, anualmente, em 15 de novembro. 
Art. 2o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 


Porque Milhões de brasileiros escolheram 15 de Novembro como o dia nacional da umbanda? Essa data marca o dia em que Zélio Fernandino de Moraes prenunciou a missão da fundação do culto.Em 1908, manifestou-se pela primeira vez,  numa sessão da Federação Espírita,  em Niterói,  uma entidade que declarou trazer a missão de estabelecer um culto,  no qual os espíritos de índios e de escravos poderiam desenvolver seu trabalho espiritual,  organizado no plano astral do Brasil.  Na época,  esses espíritos aproximavam-se das reuniões espíritas,  mas as suas mensagens eram recusadas,  por serem eles considerados atrasados,  tendo em vista a condição de humildade com que se identificavam.
das falanges principais da Umbanda e sim a ambas:  Caboclos e Pretos Velhos.
A assinatura dessa lei é mais um passo para o reconhecimento da riqueza desse culto, que é um dos mais significativos na história de luta contra o preconceito e resistência  de minorias no Brasil.