13 de março de 2012


Contra Egum


 A palavra "Egum" vem do iorubá e significa desencarnado, espírito, alma. Pode ser um espírito sem luz, mas brando e calmo, ou pode ser um espírito sem luz, ruim, zombeteiro e confuso.
 O contra egum É um utilitário trançado a partir da palha da costa previamente imantado com banho de ervas peculiares ao Orixá do filho que irá utilizá-lo. Sua confecção se dá com o corpo limpo das impurezas da carne e com rezas de santo feitas durante todo o tempo em que se está confeccionando o mesmo. Também existe a reza para se colocar o contra egum e para retirá-lo da pessoa. Normalmente é colocado no médium durante obrigações de cabeça, amarrando-se nos braços.
Segundo os mais antigos, ele pertence a Xapanã e serve para afastar espíritos desencarnados da pessoa que está passando pela obrigação. É de grande significado, pois com suas rezas e posteriormente com sua imantação através de determinados banhos, ele não permite de forma alguma que espíritos de mortos se aproximem de quem o está usando.
Devemos utilizar os contra eguns mesmo depois de nossos preceitos cumpridos e, sempre que formos a algum hospital, cemitério, delegacias, ou mesmo visitarmos um doente crítico. Algumas pessoas alegam que contra egum pode ser utilizado nos braços, nas pernas ou na cintura, mas isso é um erro. O contra egum somente é utilizado nos braços, o que se usa nas pernas também pertence a Xapanã, porém nesse utiliza-se um guizo preso, pois seu barulho espanta os eguns. Já na cintura usa-se o cordão umbilical (umbigueira) que representa a ligação direta do iniciado com seu Orixá.

É importante lembrarmos que ao usarmos os contra eguns nem mesmo Caboclos, Pretos Velhos ou outra entidade qualquer se aproxima de nós, muito menos se incorporam, pois são esses espíritos de desencarnados e assim não se comportam dentro dos segredos da Nação.