18 de janeiro de 2012

Tenho fé no meu Orixá - Samba de Rainha



Banho de cachoeira na ribeira
Que é só pra descarregar
Banho de cachoeira na ribeira
Que é pra Oxum me perfumar
Olho grande não vai me pegar
Saravá, meu pai Oxalá
Ogum!
Meu caminho não vai atrasar
Tenho fé no meu Orixá
Ogum!
E nas matas verdejantes vou ver
Oxóssi caçador me defender
Trago junto ao meu peito
Figa, guiné que têm axé e têm poder

Uso do tambor

A cultura tradicional africana não conhece a arte voltada apenas para a estética. Nela, a ação artística tem sempre uma finalidade concreta. O toque do tambor, a música em conjunto com a dança, serve para invocar e louvar divindades, exaltar os feitos de um herói ou de um povo. No universo, como ensina o pensamento tradicional africano, tudo tem um ritmo. Como o do corpo, marcado pela respiração, pela circulação do sangue, e pela batida do coração. E já que a música, fornecendo o ritmo da dança, é uma arte também do corpo para o africano, o tambor responsável pelo ritmo é mais importante do que os que executam a melodia, pois o mesmo representa a vida, o coração do Orixá.