31 de dezembro de 2012

Qualidades de Xangô no Candomblé

Candomblé

Afonjá: É o dono do talismã mágico dado por Oyá a mando de Obatalá.
É aquele que fulmina seus inimigos com o raio. Come com Iemanjá sua
mãe. Patrono de um dos terreiros mais tradicionais e antigos da Bahia, 
o Axé Opô Afonjá, é o Xangô da casa real de Oyó. Nessa qualidade, 
Xangô é aquele que está sempre em disputa com Ogum.
Aganju: Significa terra firme. Veste marrom, Xangô guerreiro e feiticeiro. 
Tem perna de pau e é casado com Iemanjá. É o filho mais novo de 
Oranian.É o mais cruel, é aquele que leva o coração do inimigo na ponta 
da lança
Agodo: Aquele que usa dois Oxês. Veste marrom, ligado a Iemanjá. Muito 
ruim e brutal, inclinado a dar ordens e a ser obedecido. É aquele que, 
ao lançar raios e fogo sobre seu próprio reino, o destrói
Alafim: É o dono do palácio real, governante de Oyó. Vem numa parte de 
Oxalá e caminha com Oxaguian
Alufan: É idêntico a um Airá. Confundido com Oxalufan. 
Veste branco e suas ferramentas são prateadas
Badè: É o mais jovem vodum da família do raio, cujo chefe é Keviosso, 
corresponde ao Xangô jovem dos nagos. É o irmão de Loko. Usa roupa 
azul com faixa atada atrás
Baru: Veste-se de marrom e branco. Nesta qualidade, e somente nesta, 
Xangô surge como um rei humilde e solidário com a causa de seu povo. 
Tem ligação com Iemanjá em Tapá e Exú, o único que não pode comer 
amalá
Jakuta: É aquele que atira as pedras, é a encarnação dos raios e trovões. 
É a própria ira de Olorun. É o senhor do edun-ará, a pedra de raio. 
Pessoas de Jacutá tem espírito de um velho pensador, justiceiro, 
incansável, brutal, colérico, impiedoso, preocupado com a causa 
dos outros
Koso ou Obacossô: Em sua passagem pela cidade de Kossô, Xangô recebe 
o nome de Obacossô, ou seja, o rei de Kossô. Os filhos de Obacossô
são serenos, tiranos, cruéis, agressivos, severos, amorosos, moralistas
Obain: Veste-se de marrom é ligado a Oyá
Obalubé: É o grande rei, ligado a Obá, Oxum e Oyá
Oranfé: É o justiceiro, reto e impiedoso que mora na cidade de ifé
Tapa: É muito conhecido pelo seu temperamento imperioso e viril. 
Não perdoa os erros de seus filhos
Airá são as qualidades de Xangô muito velhos, sempre vestidos de branco 
e usando segi (contas azuis) em lugar dos corais vermelhos, e são originários 
da região de Savê. Há no entanto atualmente quem considere que Airá seria 
um Orixá diferente e não uma qualidade de Xangô.
Os Airá seriam muito velhos, sempre vestidos de branco e usando segi 
(contas azuis) em lugar dos corais vermelhos, e seriam originários da região de Savê.
Os Airás são mais velhos, fazem parte da família real da dinastia Ifé/Oyó, 
suas contas são brancas rajadas de vermelho ou marron.
                                                     Subdividem-se em:
Airá Adjaosí: Velho guerreiro que veste branco, ligado a Iemanjá
Airá Adjaossi: O verdadeiro marido de Obá. Brigou com Ogum Jà. 
Veste branco
Airá Ajossin: É o dono do camelo. Não tem medo da morte como Xangô 
de dendê. Veste branco
Airá Alamodé: É um airá menino. Come com Iemanjá e Oxaguian. 
Ogum Já fica a seus pés
Airá Antile: Veste branco e é ligado a Iemanjá Sobá e Oxum Karé. 
Foi ele quem carregou Oxalufan nos ombros e tentou coloca-lo contra 
Xangô, dizendo que ele teria passado os sete anos na prisão por culpa 
de seu filho, Xangô. Por isto existe uma kizila entre Antile e Xangô, 
não podendo Antile ser posto em cima do pilão, pois provoca a ira de 
Oxalufan. Come com Exú
Airá Ayrà: Come com Oxalá e veste branco. Caminha junto com 
Ogum Já, se não assentá-lo Ayrà não caminha e a pessoa para no tempo
Airá Dundun: Identico ao Oxuiburu
Airá Epomin: Foi ele quem brigou e destronou Omolú
Airá Etinjà: Depende de Ogum Já para caminhar, é guerreiro e cruel, 
não recusa uma batalha. Veste branco
Airá Igbonam ou Ibonã: É considerado o pai do fogo, tanto que na 
maioria dos terreiros, no mês de junho de cada ano, acontece a fogueira 
de Airá, rito em que Ibonã dança sempre acompanhado de Iansã, 
dançando e cantando sobre as brasas escaldantes das fogueiras. Veste 
branco
Airá Intile: É o filho rebelde de Obatalá. Neste caminho, Airá Intilé dá 
aos seus filhos um ar altivo e de sabedoria, prepotente, equilibrado, 
intelectual, severo, moralista e decidido. Veste branco e azul claro, aquele 
que carrega Oxalufan nas costas
Airá Modé: É o eterno companheiro de Oxaguiã, só veste branco e não 
come dendê (só um pingo) sua conta leva seguí
Airá Ocì: Idêntico ao Ayrà Ayrà, só que é calmo
Airá Omonigi: É um Airá muito quente e filho do fogo. Se provocado 
solta fogo pela boca. Come com Oxum
Airá Oxuiburu: Veste o preto e caminha nas trevas com Exú e Egum, 
não se raspa
Airá Ybona: É o airá da quentura
Airá Yigbomin ou Bomin: É bom, conselheiro, dono da verdade, 
reina nas águas junto com Oxum. Não faz nada sem perguntar a Oxalá.
Xangô como todos os reis e chefes de estado, traz consigo os seus conselheiros, os homens que o ajudam a governar e que recebem uma designa: os do lado direito: Otún Obá e do lado esquerdo: Oci Obá.
Os Obás da direita não seguram o xere de Xangô (chocalho), porém tem direito a voz e voto, os da esquerda seguram o xere é só tem direito a voto.
Os seis Obás da direita são:
Obá Abi Odun
Obá Yirè
Obá Arolu
Obá Telá
Obá Otopi
Obá Kankufó
Os seis Obás da esquerda são:
Obá Onoxokun
Obá Aressá
Obá Elerin
Obá Onikoin
Obá Olubon
Obá Xorun

Nenhum comentário:

Postar um comentário