4 de dezembro de 2012

Oyá Igbalé

A palavra Igbalé significa pequena mata, lugar sagrado. Essa é uma forma de Oyá que requer muito cuidado ao se lidar com ela. Se Iansã é conhecida como espírito do vento, neste caminho ela é o próprio vento da morte. É ela quem governa de forma essencial os eguns. Como matriarcas deles, essas Oyás são mais agressivas que as demais, e sempre se apresentam prontas para a guerra. Seus rituais em nada lembram os dos demais Orixás, uma vez que até mesmo para solicitar que ela deixe a matéria, o ritual é feito de uma forma diferenciada, sendo que os demais Orixás são suspensos dentro do barracão, e essa Iabá é suspensa no tempo. Na cultura africana, acredita-se que ao desencarnarmos, nosso espírito se desliga do corpo e prontamente é recolhido por uma qualidade de Oxossi, que o entrega a Obaluayê e esse por sua vez, entrega o espírito a Oyá Igbale para que ela o guarde. Oyá Igbale é também conhecida como Oyá Mensan Orúm, ou seja: a mãe dos nove céus.
Seus assentamentos podem ser feitos com todos os utensílios de barro, mas existem também aqueles zeladores que a assentam em louça branca. Carrega chifres de búfalo, eruexim espécie de chicote feito com rabo de cavalo, símbolo de realeza na África e que ela utiliza para guiar os eguns, além de carregar espada e escudo. Porém o que mais diferencia seus assentamentos são a presença de uma ossada retirada do corpo de um animal, do qual deverá ser prepara e consagrada para determinadas funções. O osso representa a morte, a representação de um ser que em outrora vivera. Tem sua morada nos bambuzais, mas especialmente nos cemitérios. É uma Orixá muito amada, festejada e temida dentro do Candomblé, porque além de todos esses atributos, é ela quem divide com Xangô o mistério de carregar o fogo na boca.
Come acarajé, cabra, frutas, e demais comidas. O que a diferencia das demais Iansãs é o fato de que suas vestimentas são brancas, simbolizando a detenção do poder dos segredos de egum. Na África, o branco representa luto. Seu dia de culto é a Quarta Feira, dia que podemos entregar-lhe presentes solicitando que interceda por nós.


 Suas qualidades:
Igbalé Adagangbará: Tem fundamento com Exu
Igbalé Afakarebó ou Fakarebô: Não é feita em seus eleitos. É a 
verdadeira dona do ebó. Seus caminhos levam diretamente a Exu e 
Egum. Seus rituais são todos feitos no murim, cabaças e porrões
Igbalé Ate Oju: Aspecto difícil de Oyá quando caminha com Nanã
Igbalé De: Uma de suas qualidades
Egunita: Fundamento com Ogum Wari e Odé. Veste mariwo, ligada 
Oxalá, Nanã, e ao vento do bambuzal
Igbalé Fuman: A Senhora do fogo e dos ventos da morte. Caminha 
com Ogum e Obaluaiê. Tem caminhos também com egum. Pode usar
azul claro
Igbalé Furé: Usa uma foice na mão esquerda e um eruexim na direita. 
Por cima das vestes usa a palha da costa. Dança como se estivesse 
carregando na cabeça uma enorme cabaça. Em suas vestes são 
penduradas pequenas cabaças, no tornozelo direito uma pulseira de 
aço. Tem ligação direta com o culto aos eguns. Preside a vida e a morte
Igbalé Guere ou Logunere: Tem forte fundamento com Ogum e Omulu
Igbalé Lario: Uma de suas qualidades
Igbalé Lesseyen: Uma das Igbales que mora no próprio Lesseyen
Igbalé Min: Uma de suas qualidades
Igbalé Padá: A que ilumina o caminho aos eguns veste mariwo.É ligada 
Oxalá, Omolú e Nanã
Igbalé Tanan ou Furé-Igbalé: A  que recebe no portal os eguns
Igbalé Toningbe: Uma de suas qualidades

Um comentário:

  1. Amei, sou de Oyá Adaganbará,amo muito a minha Mãezona!!!
    Epahey !!!

    ResponderExcluir