2 de abril de 2012

Odé e Otim

Saudação:
Tamboreiro - Ajúbà Ode, Otìn, àwon odemata, ode kayode, Oude at’Otìn b’omi bò dê’lé. Òkì bámbò Ode! (Respeitamos Odé e Otim, caçadores de inimigos, caçadores que são nossa alegria, Odé e Otim como a água retornem e cheguem em casa. Acompanho sua chegada caçador, dando vivas!)
Responder - Òkì bámbò ke! (Acompanho sua chegada gritando!)

Download: 
Reza Orixás Odé e Otim - Mp3
Reza Orixás Odé e Otim - Pdf


T - Ousam pá èrè pé omo olurò èrè p ou (O instrumento de bênção de cauda de búfalo sem cabelos demora em dar benefício ao filho, senhor do remédio que beneficia, chamamos-lhe)
R - Ousam pá èrè pé omo olurò èrè p (O instrumento de bênção de cauda de búfalo sem cabelos demora em dar benefício ao filho, senhor do remédio que beneficia, chamamos-lhe, senhor do remédio, nós sempre chamamos o benefício)
T - Mim n’erò mim n’erò Ode mim n’erò mim n’erò Ode! (Eu tenho o remédio que é Odé, eu tenho o remédio que é Odé)
R - Vosan pá, mim n’erò mim n’erò Ode! (O instrumento de benção de cauda de búfalo não tem cabelos, eu tenho o remédio que é Odé)
T - Ode ou m’óta! (Odé você apanha os inimigos)
R - Otìn bò rò Ode (Otim deve solicitar a Odé)
T - Ode m’oulha, m’oulha Otìn bò rò (Otim deve solicitar a Odé que apanhe os inimigos)
R - Ode m’óta, Otìn bò rò (Otim deve solicitar a Odé que apanhe os inimigos)
T - Ode àjà kùnà pani ró, àjà kùnà pani ró àjà kùnà èdé m’Oude m’Otìn á ká rere ou, àjà kùnà pani ró! (Odé lutador que faz tremer, que domina e submete o búfalo que reconhece Odé e reconhece Otim [suas forças] recolhe o que é bom, lutador que domina e submete)
R - Àjà kùnà pani ró, àjà kùnà pani ró àjà kùnà, èdé m’Oude m’Otìn á ká rere ou, àjà kùnà pani ró! (Odé lutador que faz tremer, que domina e submete o búfalo que reconhece Odé e reconhece Otim recolhe o que é bom, lutador que domina e submete)
T - Èdé m’Ode m’Outìn á ká rere ou! (Oh! O búfalo reconhece Odé e Otim recolhendo o que é bom)
R - Àjà kùnà pani ró (Lutador que faz tremer, submete e domina)
T - Ode p meu láro (Odé me console)
R - Ode p meu láro (Odé me console)
T - Ode p meu láro sà f’oumode (Odé me console, aplica medicina, usa seu filho)
R - P meu láro sà f’oumode (Me console e aplica medicina usando seu filho)
T - Né! Ao ba Ode, ao ba Ode! (Nós respeitamos Odé)
R - Ara só só wá Ode (O corpo protege, vem Odé)
T - Sei ká relé sé ká relé wa? (Vamos para casa?)
R - Ayansé’ yansé ká relé! (Toma sua própria decisão sobre voltar para casa)
T - Diga là ire, là ire p, diga là ire, là ire p, diga là (Que do alto apareça a boa sorte, chama que apareça a bênção)
R - Aaa yé aaa yé! Diga là ire là ire p, diga là (Ah por favor! Que do alto apareça a boa sorte, chama)
T - Esun là esun lò aberikunlo a wè àwon (A erva tromba de elefante salva, usa a erva tromba de elefante e a erva espanta morto, nós nos banhamos com elas)
R - Esun là esun lò aberikunlo a wè àwon (A erva tromba de elefante salva, usa a erva tromba de elefante e a erva espanta morto, nós nos banhamos com elas)
T - Otìn yé aayé! (Otim por favor, vida!)
R - Yé aayé! (Por favor, vida!)
T - Otìn a koro! (Otim, nós vamos)
R - A koro ! (Nós vamos)
T - Otìn abesù! (Otim, segue pelo caminho o Exu)
R - A koro ! (Nós vamos)
T - Ode omo s’ite a dìde ou! (Odé, filho feito no bosque, nos pomos de pé)
R - Ode omo s’ite a dìde ou! (Odé, filho feito no bosque, nos pomos de pé)
T - Bere beni só dê, bere beni só dê, àká ká ou kún, ou kún f’meu erè, bré beni só dê (Começa a proteger de fora a colheita, me preencha e me premie, começa a proteger de fora)
R - Bere beni só dê, bere beni só dê, àká ká ou kún, ou kún f’meu erè, bré beni só dê (Começa a proteger de fora a colheita, me preencha e me premie, começa a proteger de fora)
T - Èrè akókè r’okè! (Nos eleve para as recompensas, nos eleve)
R - Òkè akokè r’okè òkè (Vamos, sobe para o topo, para cima)
T - Ode se màá laiya se’rúnmalè, Ode se màá laiya se’rúnmalè (Odé faz com que eu sempre tenha valentia, me faça um espírito de luz)
R - Òrorò ró kún dê, Oude se màá laiya se’rúnmalè (Te impulsione, te manifesta, chega, faz com que eu sempre tenha valentia, me faça um espírito de luz)
T - Olóògun béè wò (Dono de remédios para cuidar)
R - Olóògun béè wò (Dono de remédios para cuidar)
T - E e jí òwè (Você desperte a ajuda comunitária)
R - Á jí òwè (Deve despertar a ajuda comunitária)
T - Á jí òwè o (Deve despertar a ajuda comunitária e ir)
R - A jí òwè o ogun (Deve despertar a ajuda comunitária e ir à luta)
T - Ode pere meu Ode meu pere (Odé seja generoso comigo)
R - Oogun f’meu èrè (Me premie com a medicina)
T - Èrè bere ké tì (O prêmio como recompensa, corta e luta)
R - A ìró maa yó erúnmalè a rí ou (Nossos sons sempre fundem e lhe vemos espírito de luz)
T - Ode ire’yin Ode minha’ré wá yára wò yára òkè olóbe ìsé kári rè wò (Odé é sua bênção, Odé é minha benção, vem rápido, visita logo, no alto da montanha o dono da faca trabalha por tudo ao redor, aumenta a vigilância)
R - Ode ire’yin Ode minha’ré wá yára wò yára òkè olóbe ìsé kári rè wò (Odé é sua bênção, Odé é minha benção, vem rápido, visita logo, no alto da montanha o dono da faca trabalha por tudo ao redor, aumenta a vigilância)
T - Bá mó rà bá mo dê bá mó m’altar k’àjà ode (Encontra, rompe, repara, passa, constrói, chega, surpreende, rompe mas não o corpo, calcula a luta Odé)
R - Bá mò’ra bá’ mode bá mó m’altar k’àjà Oude (Encontra, reconhece o corpo, encontra ao filho, surpreende, rompe mas não o corpo, calcula a luta Odé)
T - Kò ní’ mode kò ní jà bi (Não tem filho, não tem que esforçar-se em nascer)
R - Otìn
T - E ní’ pópó okun e lè sem e lè sim okuta (Tem caminho e poder, você pode servir, pode viver na pedra)
R - E ní’ pópó okun e lè sem e lè sim okuta (Tem caminho e poder, você pode servir, pode viver na pedra)
T - Ode’ tìn bò rò ró’ tìn bò rò Ode m’oulha’ tìn bò rò (Odé e Otim retornem, solicitem passagem, Otim retorna e solicita a Odé que apanhe os inimigos)
R - Ode’ tìn bò rò ró’ tìn bò rò Ode m’oulha’ tìn bò rò (Odé e Otim retornem, solicitem passagem, Otim retorna e solicita a Odé que apanhe os inimigos)
T - Ou yà bere ké chá ou yà bere ke chá wá rà (Você separa, inclina-te, corta e expande, deve se redimir)
R - Ou yà gbogbo, ou yà bere ké chá ou yà bere ke chá wá rà, ou yà gbogbo (Você separa tudo, separa, inclina-te, corta, expande, vem se redimir, separa tudo)
T - Ode meu èrè (Odé é minha recompensa)
R - Ode eram wò! (Odé da carne cuide [que não falte])
T - Pere meu meu pere (Generoso comigo)
R - Ode eram wò! (Odé da carne cuide)

Nenhum comentário:

Postar um comentário