30 de março de 2012

Iansã

Também chamada Oiá, é a Orixá dos ventos e raios. Além disto, é Senhora dos Eguns (espíritos dos mortos), os quais controla com um rabo de cavalo (eruexin) que é um de seus símbolos. É ela que servirá de guia, ao lado de Xapanã, para aquele espírito que se desprendeu do corpo. Guerreira, é a mais agitada das Orixás femininas, foi esposa de Ogum e, posteriormente, a mais importante esposa de Xangô. É dona dos movimentos (movimenta todos os Orixás), em algumas casas é também dona do teto da casa e da aliança. Atua em todos os campos que envolvam o relacionamento amoroso e por isso, é muito solicitada para resolver casos de união. Oiá é a força dos ventos, dos raios e furacões, das brisas que acalmam, das coisas que passam como o vento, dos amores sensuais e passageiros e das tempestades que assolam a existência, mas não duram para sempre. 
É a dona da alegria e da paixão que arde como o fogo. Ela é o desejo incontido, o sentimento mais forte que a razão. É o ciúme doentio e o fascínio enlouquecido. É a paixão propriamente dita. É a falta de medo das consequências de um ato impensado no campo amoroso. Oiá rege o amor forte e violento.

Lenda sobre Iansã:
Oxaguiã estava em guerra, mas a guerra não acabava nunca, tão poucas eram as armas para guerrear. Ogum fazia as armas, mas fazia lentamente. Oxaguiã pediu a seu amigo Ogum urgência, mas o ferreiro já fazia o possível. O ferro era muito demorado para se forjar e cada ferramenta nova tardava como o tempo. Tanto reclamou Oxaguiã que Iansã, esposa do ferreiro, resolveu ajudar Ogum a apressar a fabricação. Iansã se pôs a soprar o fogo da forja de Ogum e seu sopro avivava intensamente o fogo, consequentemente aumentado derretia o ferro mais rapidamente. Logo Ogum pode fazer muitas armas e com as armas Oxaguiã venceu a guerra e veio então agradecer Ogum. Mas na casa de Ogum, enamorou-se de Iansã. Um dia fugiram Oxaguiã e Iansã, deixando Ogum enfurecido e sua forja fria. Quando mais tarde Oxaguiã voltou à guerra e quando precisou de armas muito urgentemente, Iansã teve que voltar a avivar a forja. E lá da casa de Oxaguiã, onde vivia, Iansã soprava em direção à forja de Ogum. E seu sopro atravessava toda a terra que separava a cidade de Oxaguiã da de Ogum. E seu sopro cruzava os ares e arrastava consigo pó, folhas e tudo o mais pelo caminho, até chegar às chamas com furor. E o povo se acostumou com o sopro de Iansã cruzando os ares e logo o chamou de vento. E quanto mais a guerra era terrível e mais urgia a fabricação das armas, mais forte ela soprava a forja de Ogum. Tão forte que às vezes destruía tudo no caminho, levando casas, arrancando árvores, arrasando cidades e aldeias. O povo reconhecia o sopro destrutivo de Iansã e o povo chamava a isso tempestade.

Arquétipos dos filhos de Iansã:
 Os filhos de Iansã são audaciosos, poderosos e autoritários. Podem ser fiéis e de lealdade absoluta em certas circunstâncias, mas que em outros momentos, quando contrariados em seus projetos e empreendimentos, deixam-se levar a manifestações de mais extrema cólera. Pessoas cujo temperamento sensual e voluptuoso pode levá-las a aventuras amorosas extraconjugais múltiplas e frequentes, sem reserva nem decência. Os filhos de Iansã também são audaciosos, intrigantes, autoritários, vaidosos, pessoas sensuais e volúveis. 
Características Positivas: 
 Pessoas prestativas e trabalhadeiras, comunicativas, sensíveis e reservadas, ao mesmo tempo falantes e amigas. Perseverantes, otimistas, despachadas, categóricas, sabem o que querem. São dotadas de muita imaginação, decisões rápidas e audaciosas.Charmosas e atraentes. 
Características Negativas: 
São vingativas, difíceis de perdoar e se aborrecem facilmente. Chantagistas, mentirosas e gostam de intrigas. Extremamente agitadas e confusas. 

Qualidades: Oiá, Oiá Timboá, Oiá Dirã, Iansã
*Oyá: É a mais nova, é a dona da aliança, formando com Ogum e Xangô a famosa“aliança de Oyá”
*Timboá: É tida como a mais quieta das Iansãs, a que sabe fazer as coisas. Senhora dos cemitérios, controla os eguns. É assentada no igbalé (casa dos mortos), nos fundos do Ilê.
*Oyá Dirã: Senhora dos cruzeiros em T , é a Iansã que fica na rua.
*Iansã: É a mais velha, casada com Agodô, dona dos tetos.
Saudação: Epa Heyi Iansã: Saudamos os majestosos raios e ventos de Iansã! 
Dia do ano: 04 de dezembro
Dia da Semana: Terça-feira
Flor: Palma vermelha, rosas e cravos
Comida: Pipoca e batata doce
Doce: Maçã caramelizada, doce de batata
Animal de estimação: Borboleta e búfalo
Função: Amor, amarração e demanda
Número: 07
Cor: Vermelho e branco
Ferramentas: Espada feita em raio, raio com 2 ou 4 segmentos, par de alianças, leque de pena, relho de crina de cavalo, moedas, búzios
Frutas: Maçã, ameixa, cereja, bergamota, goiaba
Ervas: Espada de Santa Bárbara
Legumes: Tomate, batata-doce, moranga
Ajuntós:
*Oiá Timboá: com Bará Elegba, com Ogum Avagã
*Oiá Dirã: com Ogum Avagã
*Oiá: com Bará Adague, com Bará Lanã, com Bará Agelú, com Ogum Onira, com Xangô Aganjú, com Xapanã Jubeteí
*Iansã: com Bará Lodê, com Ogum Olobedé, com Xangô Agodô, com Xapanã Belujá, com Xapanã Sapatá

8 comentários:

  1. adoro ler estas histórias,porque sou filho de oya,e como sempre estou em busca de aprender mais,porque acho que não sei quase nada embora tendo 23 anos de santo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom lermos as histórias que fazem referência aos nosso Orixás, afinal nossa religião é um eterno aprendizado.

      Excluir
  2. Poderia me dizer se a nova é a Nique?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Niqué na verdade não é uma qualidade de Iansã, e sim um de seus sobrenomes.

      Excluir
  3. Fui
    feita há 15 anos, permaneci pouco mais de 1 ano no culto e saí por ser
    muito "tempestuosa". voltei há meses a me interesar pelo culto. agora
    tem a web. não entendi o fato de haver aqui poucas qualidades de Yansã.
    esses dias só de Balé (Igbalé) encontrei 11 subqualidades, e vc nem a
    menciona! seríamos de nações diferentes? Nasci no Ketu. fui feito de
    Balé por imposição da "autoridade" do Ilê (de Balé), mas meu zelador
    continuou afirmando que eu era de Onira e que depois "concertaria" isso,
    para não desresppeitar a cabeça da casa. ambos, porem, estão mortos!
    Sério! Tenho um amigo (e ex caso) no Santo que declarou que teria medo
    de mexer com o meu Orí. ainda tenho a mão do Vumi. gostaria de ler seu
    paracer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Escrevemos sobre Iansã (inclusive a de Balé) duas vezes: http://batuquedosorixas.blogspot.com.br/2012/12/oya-igbale_4.html
      http://batuquedosorixas.blogspot.com.br/2012/12/qualidades-de-oya-no-candomble.html
      O fato de você ser filho de um Orixá e ser entregue a outro, é algo não aconselhável de se fazer, sugerimos que você procure uma pessoa de confiança que possa tirar a mão da pessoa falecida e possa entregar sua cabeça ao Orixá certo para que não haja complicações futuras em sua vida.

      Excluir
  4. Olá !

    Estive lendo e tentando aprender um pouco sobre cada Orixá. Registro que a forma simples como foram expostas as características de cada Orixá me ajudaram muito a entender um pouquinho sobre o assunto, sei que ainda estou engatinhando nesse aprendizado e tenho muito ainda a aprender, de qualquer sorte, a informação e o conteúdo do Site foi de grande valia.
    Agradecendo por disponibilizar as informações contidas em seu Site.
    Obrigado !
    Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo
      Que bom que você gostou do blog, cada artigo que escrevemos, fazemos uma grande pesquisa e estamos aprendendo também. Acreditamos que não importa o tempo que você está dentro da religião, sempre terá algo para conhecer e se aprofundar. Obrigado pelos elogios!
      Axé!

      Excluir

Sua mensagem foi enviada e será respondida o mais breve possível, obrigado.