30 de março de 2012

Ossanhe

Ossanhe é o Orixá das plantas medicinais e litúrgicas. É fundamental sua importância, porque detém o reino e poder das plantas e folhas, imprescindíveis nos rituais e obrigações de cabeça e assentamento de todos os Orixás. Podemos dizer que Ossanha possui a solução para todos os problemas relacionados a cura de enfermos, tanto material quanto espiritual. As pessoas com defeitos físicos nas pernas ou não possuem uma das pernas, quase sempre estão ligadas de alguma forma a esse Orixá, pois ele se apresenta sem uma das pernas, seja simbolicamente, assim como em transe dança com uma das pernas encolhidas como se não a possuísse, muitos de seus filhos, que não possuem uma das pernas quando da manifestação de Ossanhe, dançam toda uma noite em uma perna só. Como as folhas estão relacionadas com a cura, Ossanhe também está vinculado à medicina.

Lenda sobre Ossanhe:
 Ifá foi consultado por Orumilá que estava partindo da terra para o céu indo apanhar todas as folhas. Quando Orumilá chegou ao céu Olódùmaré disse: - Eis todas as folhas que queria pegar. O que fará com elas? Orumílá respondeu que iria usá-las para beneficio dos seres humanos, e todas as folhas que ele estava pegando, ele carregaria para a Terra. Quando chegou no meio do caminho entre o céu e a terra, ele encontrou Ossanhe e perguntou: - Ossanhe onde vai? -Vou ao céu, vou buscar folhas e remédios. Orumilá disse que já havia ido buscar as folhas no céu e ele poderia fazer remédios com elas, porém não conhecia seus nomes. Foi Orumilá quem deu nome a todas as folhas, e disse pra Ossanhe que carregasse todas as folhas para a terra. Foi assim que Orumilá entregou todas as folhas para Ossanhe e também ensinou a ele o nome das folhas apanhadas junto com todo o poder delas, o qual ele guardava em uma cabaça pendurada em um galho de árvore.  Um dia Xangô se queixou a sua mulher Iansã, que só Ossanhe conhecia o segredo de cada uma das folhas e que os demais Orixás estavam no mundo sem possuir nenhuma planta. Iansã levantou sua saia e agitou-a, um vento violento começou a soprar e derrubou a cabaça de Ossanhe no chão quebrando-a.
Ele, ao perceber o que aconteceu, gritou: -Ewê Ô! (Oh! As folhas! As Folhas!), mas não pôde impedir que os demais Orixás pegassem as folhas e as dividisse entre eles. Porém os Orixás não tinham o conhecimento das ervas e até hoje precisam de Ossanhe para usá-las em seus rituais, ficando seu segredo a salvo.

Arquétipos dos filhos de Ossanhe:
São pessoas de caráter equilibrado, capazes de controlar seus sentimentos e emoções. Pessoas que não deixam suas simpatias e antipatias intervirem nas suas decisões ou influenciarem suas opiniões sobre pessoas e acontecimentos. São pessoas cuja extraordinária reserva de energia criadora e resistência passiva ajuda-os a atingir os objetivos que fixaram. Não tem uma concepção estreita e um sentido convencional da moral e da justiça. Enfim, pessoas cujos julgamentos sobre os homens e as coisas são menos fundados sobre as noções de bem e de mal do que sobre as de eficiência.
Características Positivas: 
Reservados, estudiosos, sinceros e obedientes, dono de grande poder de persuasão, os regidos por este Orixá, são sensitivos, equilibrados e não confiam facilmente nos outros a fim de preservar seus segredos, pois são extremamente misteriosos e não são influenciáveis. Cientistas natos adoram criar e descobrir coisas novas. 
Características Negativas: 
São feiticeiros, são traiçoeiros, misteriosos, capazes de qualquer maldade para ter aquilo que querem. Não fazem muitos amigos, nem suas amizades são duradouras, são volúveis e raramente bem sucedidos no amor.

Qualidades: Não Possui
Saudação: Ewê Ô: Oh! As folhas!
Dia do ano: 25 de abril
Dia da Semana: Segunda-feira
Flor: Cravo
Comida: Apeté feito com batata inglesa e mel
Doce: Doce de figo, pera caramelizada
Animal de estimação: Cágado e formiga
Função: Demanda, doença
Número: 07
Cor: Verde
Ferramentas: Coqueiro, muleta, bisturi, cágado, moedas, búzios
Frutas: Mamão, pêssego, figo, abacate
Ervas: Abacateiro folha
Legumes: Alface, batata, chicória, azeitona
Ajuntós:
*Com Oxum Demun, com Iemanjá Bocí

Nenhum comentário:

Postar um comentário